O que é um Cristão?

Um cristão é um seguidor de Cristo, Jesus de Nazaré (Atos 11:26). Aqueles que seguem a Jesus não acreditam apenas que Ele falou a verdade no seu ministério terrestre; eles acreditam ao ponto de entregar toda sua vida a Ele (João 3:16). Eles procuram ser discípulos à semelhança de Cristo e compartilham a sua fé com outros, formando-os em discípulos à semelhança de Cristo.

Qual o propósito da minha vida?

Há duas respostas para essa pergunta. Primeiro, Deus nos convida a ter um relacionamento pessoal com Ele. Esse convite é oferecido a todo homem na terra. Segundo, Deus quer que cada um de nós use nossas habilidades e oportunidades para ajudar a outros. Esses propósitos são diferentes para cada um de nós.

Fazendo parte do Cristianismo Tradicional, Nazarenos entendem que Deus criou todas as pessoas com a mesma intenção: todos devem ter um relacionamento de amor com Deus que perdurará por toda a eternidade (João 3:16, 1 João 1:3). Quando nós temos tal relacionamento, a intenção de Deus é que nos tornemos mais amorosos, pacientes e disciplinados; resumindo, nós estamos numa jornada à uma vida moldada por Deus (2 Coríntios 3:18; Gálatas 5:22-23; 1 João 3:2).

Além disso, Deus dá a cada pessoa habilidades especiais projetadas para ajudar uns os outros. Por exemplo, alguns são capazes de ensinar a outros sobre Deus, alguns são capazes de ajudar com necessidades físicas, outros são especificamente efetivos em aconselhamento ou liderança (Romanos 12:6-8 l 1 Coríntios 12:7-11).

O que os Nazarenos acreditam sobre Deus?

Como parte da comunidade Cristã, Nazarenos entendem que há um só Deus, que sempre existiu e sempre existirá (Deuteronômio 6:4). Nós cremos que Ele é criador (Gênesis 1; Isaías 40:25-26) e santo (Levíticos 19:2; Isaías 5:16, 6:1-7) e que Seus propósitos são realizados neste mundo (Jeremias 29:11; Atos 1:6-7).

Nós também cremos que a natureza de Deus se desdobra em três: Pai, Filho e Espírito Santo (Mateus 28:19-20; 2 Coríntios 13:14). Este conceito das três dobras, a Trindade, foi entendido pela Igreja Primitiva como a melhor maneira de explicar o que eles haviam experimentado. Eles sabiam, por suas raízes judaicas, que havia apenas um Deus, mas eles também sabiam que Jesus agiu como se fosse Deus. Ainda, o Espírito Santo, dando poder à igreja como prometido por Jesus e o Antigo Testamento, parecia também ter todo o poder de Deus. Assim, eles entenderam que Jesus e o Espírito Santo são partes do único Deus que sempre existiu. Nazarenos abraçam essa crença confirmada pela Palavra de Deus.

Quem é Jesus Cristo?

O Novo Testamento afirma que Jesus de Nazaré nasceu em uma família judia nos primórdios do Império Romano. Ele foi morto pelas forças de ocupação romanas e, verdadeiramente, ressuscitou dos mortos. Depois subiu a Deus Pai nos céus.

Enquanto os de diferentes crenças o consideram um grande mestre religioso, os seguidores de Jesus entenderam que Ele era mais do que apenas um mestre. Ele perdoou pecados (Marcos 2:1-12; João 8:1-11); Ele falava como se Ele sempre tivesse existido (João 8:58); e um de seus seguidores dirigiu-se a Ele como Deus (João 20:28). Sua morte foi mais que uma simples execução; Sua morte torna possível que os seres humanos tenham um relacionamento restaurado com Deus (Colossenses 1:21-23). Em sua vida contínua com o Pai, Ele ainda cuida de nós, humanos (1João 2:1-2).

A Igreja do Nazareno concorda com outros cristãos que Jesus é Deus. Ele é distinto do Deus Pai, conhecido pelo povo Judeu nos tempos de Moisés (Deuteronômio 1:31; Provérbios 3:12). Ele também é distinto do Espírito Santo, que tem dado poder aos cristãos desde os primórdios da Igreja (Atos 2:4, 33). O Espírito Santo continua o trabalho de Jesus através de seus seguidores (João 16:13-15).

Enquanto Ele é Deus, Ele também é homem. Jesus nasceu da virgem Maria quando o poder do Espírito Santo veio sobre ela (Lucas 1:26-35). Nele, a natureza de Deus e a natureza humana uniram-se em uma só Pessoa (Colossenses 1:19-20).

O que os Nazarenos acreditam sobre o Espírito Santo?

receberiam outro Consolador que estaria com eles para sempre (João 7:37-39, 14:16). Após a Sua morte e ressurreição, Ele disse aos seus seguidores que eles receberiam poder através do Espírito Santo (Lucas 24:49; Atos 1:8). Ele então deixou os seus seguidores (Atos 1:9).

Dias depois, os seguidores de Jesus receberam, de fato, o Espírito Santo (Atos 2:1-4, 18, 32-33). A Igreja reconheceu imediatamente a presença do Espírito Santo como sendo equivalente a presença de Deus (Atos 15:8-9; Efésios 3:14-19; 1 João 3:24).

O que os Nazarenos querem dizer com “salvação”?

Nazarenos, como outros cristãos, usam o termo “salvação” para designar o abandono de ações erradas, receber o perdão de Deus, nos entregar a Deus e viver como Ele nos direciona.

Salvação provém da palavra “salvar”. Jesus declarou que Ele veio para “Salvar os perdidos” (Lucas 19:10). Quando um carcereiro romano pagão quis tornar-se cristão, ele perguntou, “O que devo fazer para ser salvo?” (Atos 16:30). Ao falar com um líder religioso, Jesus disse que Deus pretendia “salvar o mundo” através de Sua vida (João 3:17).

 

Do que somos salvos?

Algumas Escrituras prometem salvação de outras pessoas e suas intenções maldosas (Salmos 18:3). Com frequência, a Palavra de Deus promete salvação do mal generalizado no mundo (Isaías 45:22; Atos 4:12). Muitas vezes nas Escrituras, Deus se oferece para nos salvar quando este mundo for destruído (Joel 2:31-32; 1 Pedro 4:18). No entanto, o uso mais comum da palavra pode ser “salvar da punição que merecemos” (Romanos 5:9; 1 Coríntios 15:2; 1 Timóteo 2:4).

O que a Igreja do Nazareno acredita sobre viver uma vida santa?

Os Nazarenos, juntamente com outros Wesleyanos, acreditam na inteira santificação, quando a obra transformadora de Deus é completa e o divino amor de Deus que habita o cristão purifica todo pecado do coração (Romanos 6:6, 1 Tessalonicenses 5:23).

Após nascermos de novo, nós precisamos da plenitude do Espírito Santo de Deus em nossos corações (Romanos 8:6-8). Quando fazemos um compromisso e nos entregamos totalmente a Ele, Ele purifica o nosso espírito, nos enche do Seu amor perfeito e nos dá poder para viver uma vida santa em obediência a Ele (Romanos 8:5, 9-11).

Santificação é a vontade de Deus para todos os crentes (1 Pedro 1:15-16). Através da presença e habitação interior do Espírito Santo, Deus permite que os crentes vivam uma vida santa e os capacita para a vida e serviço (Atos 1:8).

Os Nazarenos fazem distinção entre um coração puro, que é obtido num instante, através do preenchimento do Espírito Santo, e um caráter maduro, que é o resultado do crescimento na graça.

O que é batismo?

O batismo é um símbolo cristão desde os tempos de Jesus (Mateus 3:1-6). Ele envolve aplicar água aos cristãos para simbolizar sua morte para o modo de vida antigo (Romanos 6:3-4) e a provisão de Deus para uma nova vida (Gálatas 3:26-27). O batismo, um “meio da graça” sacramental, sela o intento de alguém em seguir a Deus (Atos 2:37-41, 8:35-39, 10:44-48). A Bíblia nunca define quanta ou como a água deve ser aplicada. Portanto, a Igreja do Nazareno considera a imersão, aspersão e efusão como métodos aceitáveis de batismo.

Os Nazarenos também entendem o batismo como sendo um símbolo para o novo relacionamento estabelecido por Deus para com o Seu povo. Por isso, alguns Nazarenos escolhem ter seus filhos pequenos batizados, como símbolo de suas intenções em criá-los na Igreja de Deus e a esperança de verem seus filhos escolherem os caminhos de Deus quando mais velhos.

O que é a Santa Ceia?

Na última noite que Jesus passou com seus discípulos antes de Sua morte e ressurreição, Ele compartilhou do pão e vinho com eles como parte da refeição de Páscoa (1 Coríntios 11:23-26). Esse compartilhar do pão e vinho é conhecido como a Santa Ceia.

Quando Jesus compartilhou o pão e o vinho com seus discípulos, o pão simbolizava Seu corpo e o vinho simbolizava seu sangue (Mateus 26:26-29; Marcos 14:22-25; Lucas 22:17-20). Os discípulos entenderam isso como significando que Jesus doava a Sua vida (corpo e sangue) para o benefício deles. Os primeiros registros da Igreja mostram que Seus seguidores frequentemente compartilhavam juntos do pão e vinho, relembrando que Jesus morreu por eles (1 Coríntios 10:14-16) e voltará.

Quando as Igrejas do Nazareno oferecem a Santa Ceia hoje, todos os crentes são chamados a participar, independente de sua membresia na igreja. A Santa Ceia não é apropriada para aqueles que ainda não aceitaram a nova vida oferecida por Deus (1 Coríntios 11:28-29).

Os Nazarenos assumem posições oficiais sobre problemas políticos ou sociais?

A Igreja do Nazareno entende que é esperado dos cristãos se oporem ao mal e promoverem o bem. Em nosso mundo complexo, nós também entendemos que poucos problemas são completamente maus ou completamente bons.

Nós expressamos nossa oposição ao mal subjacente como a desonestidade (Levíticos 19:11; Romanos 12:17), difamação e vingança (2 Coríntios 12:20; Gálatas 5:15; Efésios 4:30-32; Tiago 3:5-18; 1 Pedro 3:9-10) e imoralidade sexual (Êxodo 20:14; Mateus 5:27-32; 1 Coríntios 6:9-11; Gálatas 5:19; 1 Tessalonicenses 4:3-7).

Nós também afirmamos o nosso suporte às boas ações, como ajudar os necessitados (Mateus 25:35-36; 2 Coríntios 9:8-10; Gálatas 2:10; Tiago 2:15-16; 1 João 3:17-18), ser cortês e prestativo (Romanos 12:13; Gálatas 6:2, 10; Efésios 4:32; Colossenses 3:12-14; Tito 3:2; 1 Pedro 2:17; 1 João 3:18) e honrar a Deus (Êxodo 20:3-6; Deuteronômio 5:7-10, 6:4-5; Marcos 12:28-31).

O Pacto de Caráter Cristão no Manual da Igreja do Nazareno dá orientações a respeito da conduta cristã em alguns assuntos específicos. Ao invés de ter posições oficiais, na maioria dos problemas a Igreja do Nazareno encoraja seus membros a aplicar os princípios de Deus e agir segundo eles. A todos os cristãos é prometida a orientação de Deus quando verdadeiramente buscá-la (João 16:13; 1 Coríntios 2:16; Tiago 1:5).

Como ser um Nazareno afeta as nossas ações?

É difícil dizer que todas as pessoas em qualquer grupo “sempre” ou “nunca” agirão de certo modo. Dentro do Corpo de Cristo isso é particularmente difícil, porque Deus trabalha com cada crente de forma um pouco diferente. No entanto, aqueles que são Nazarenos decidiram seguir a Deus o melhor que podem, e procuram ser mais como Deus amanhã do que o foram ontem.

Os Nazarenos encorajam ativamente uns aos outros a serem mais semelhantes a Jesus. Nós doamos tempo, dinheiro e energia às causas que demonstram o amor de Deus ao mundo (Mateus 25:31; Atos 2:45). Nós compartilhamos com outros as maneiras que Deus tem trabalhado em nossas vidas, dando a Ele o crédito pelas mudanças positivas que o Espírito Santo faz (Atos 1:8). Nazarenos convidam outros a frequentarem os cultos da igreja porque acreditam que Deus trabalha nessas reuniões para nos ensinar mais sobre Ele mesmo (Atos 2:46; Hebreus 10:25). Resumindo, nós vivemos para demonstrar como Deus tem feito a diferença (Mateus 5:13-16; Filipenses 4:4-5).

Como a maneira Nazarena de entender a Deus faz a diferença nas vidas dos membros Nazarenos?

Os Nazarenos entendem que Deus deseja fazer-nos mais semelhantes a Jesus (2 Coríntios 3:18; 1 João 3:2). Isso significa que nós devemos ser santos e espelharmos o caráter de Cristo (Levíticos 11:44; Mateus 5:48). Após recebermos nossa nova vida espiritual (João 3:5-7), o Espírito Santo nos ensina como viver de maneira aprazível a Deus (Gálatas 5:22-23).

Isso significa que Nazarenos não se contentam em saber que Deus os encontrou uma vez. Eles buscam ativamente aprender mais sobre Ele e Seus planos através da leitura bíblica, reunindo-se com outros crentes e gastando tempo em comunicação com Deus através da oração.

 

Como eu posso aprender mais sobre a Igreja do Nazareno?

A melhor maneira de aprender mais sobre qualquer grupo ou pessoa é interação pessoal. Você pode encontrar uma Igreja do Nazareno perto de você neste website em Encontre uma Igreja.